domingo, 27 de junho de 2010

Otimize seus padrões de paletização e economize alguns milhões por ano

Nos sistemas de distribuição modernos utilizam-se padrões de paletização estabelecidos sobre páletes padronizados - no Brasil o mais comum é se utilizar o padrão PBR (1200mm x 1000mm 4 entradas). E cada posição pálete com o espaço que lhe é pertinente custa dinheiro na armazenagem e no transporte.

Empresas cujos produtos tem baixo peso específico pagam seus fretes por volume ao invés de pagá-lo por peso transportado. Desse modo, é preciso garantir que o máximo de produtos poderá ser acondicionado no espaço disponível.

E a quantidade de dinheiro que pode ser economizada quando se tem caixas volumetricamente eficientes pode ainda ser aumentada se o projeto permitir que uma única caixa seja utilizada para mais do que um produto.

ARRANJO DOS PRODUTOS NA CAIXA
Tudo deve começar com uma caixa bem projetada.
Projetar uma embalagem até parece fácil. Afinal não é só procurar fazer um arranjo interno compacto?

Só que a coisa não é tão fácil assim! Quanto menores são as unidades dos produtos embalados e quanto mais unidades por caixa, mais cresce a quantidade de combinações possíveis de embalagem e arranjo (empilhamento) no pálete.

Somente para dar um exemplo: Para projetar uma caixa múltipla contendo 4 unidades de produto serão possíveis 18 diferentes formatos. E cada um deles permitirá diversos arranjos sobre os páletes com diferentes aproveitamentos do volume disponível.


Imagine então quantas alternativas teremos ao projetar uma caixa de 12 unidades!?
Teremos 33 diferentes alternativas de dimensões para essa caixa e um sem número de diferentes arranjos sobre o pálete.

ADEQUAÇÃO DA CAIXA AO PÁLETE
Portanto, não só é importante ter uma caixa que seja bem adaptada aos seus produtos mas também que seja adequada ao pálete (ou à sua unidade principal de armazenagem e transporte).

Essa é a razão porque cada vez mais as empresas recorrem a software ou serviços de projetos de embalagem que integram suas dimensões ao modo como as caixas serão armazenadas e transportadas.

Se você consegue influenciar no projeto de suas embalagens, e principalmente para aqueles cujos produtos tem peso específico baixo, verifique primeiro se não há espaço interno sub-ocupado nas caixas de seus produtos, que implique em uma quantidade menor de produtos sobre o pálete.

Na ilustração a seguir veja o que acontece quando eliminamos 20mm na altura e no comprimento de uma caixa, por exemplo através de uma revisão no projeto do acolchoamento. Uma racionalização como essa é capaz de melhorar o padrão de paletização em mais de 100%.



Veja também qual é a eficiência de seus padrões de paletização.

Isso é fácil. A área do pálete PBR é 1,2m². Imaginando uma altura disponível de 1,6m para seus páletes, então o volume disponível será de 1,9m³.
Em seguida veja quantas caixas do produto estão previstas no padrão de paletização e multiplique pelo volume de uma caixa.
Ao final divida o volume total das caixas pelo volume do pálete.
Se o resultado foi menor que 0,8 você está perdendo dinheiro!

É razoável que se obtenha índices de pelo menos 0,85 para a eficiência volumétrica dos padrões de paletização.
Veja se é possível rearrumar as caixas sobre os páletes para melhorar essa eficiência. Caso contrário, está na hora de revisar o projeto de suas embalagens!

Pense nisso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário