quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Como medir a área de um armazém? - parte 3

Prédios irregulares
Quando se tratar de um prédio irregular, esqueça de vez as medições só ao longo das paredes. Além delas você precisará de outros pontos de referência.

Adote pontos de referência a partir dos quais você possa fazer medições triangulares.
No exemplo do desenho abaixo, há dois pilares centrais. Então tome as medidas das diversas distâncias entre uma quina de cada pilar com o encontro das paredes, entre os dois pilares, etc... Veja as retas internas exemplificando essas medições.

Agora vem o mais legal:
Vamos imaginar que as distâncias encontradas são as mostradas no desenho abaixo.
Trace uma reta para representar a primeira parede. Usando a extremidade "A" como centro trace uma circunferência com raio 513. Usando a extremidade "B" trace uma circunferência com raio 941.
Onde elas se cruzam é a localização da quina do pilar usado como referência.
Agora, usando "A" como centro trace outra circunferência com raio 650 (parede) e usando a quina do pilar que você acabou de posicionar, trace outra circunferência com raio 502. Pronto! No cruzamento dessas duas circunferências estará a extremidade D da parede de 650.
Repetindo esses mesmos procedimentos a partir de suas outras referências, você conseguirá reproduzir exatamente a geometria do seu prédio.

Faça esse exercício e veja que a geometria do prédio real não tem muito a ver com a geometria do croquis que serviu como exemplo.



Portanto, para desenhar corretamente a geometria do prédio, será preciso utilizar seus conhecimentos de trigonometria, ou pelo menos de intersecção de circunferências para encontrar as dimensões e a orientação relativa entre as paredes.

Outro ponto importante é verificar o distanciamento entre os diversos pilares de uma linha, principalmente no sentido transversal ao alinhamento das estruturas porta-páletes. Caso isso não esteja perfeito, você poderá ter a ingrata surpresa de no momento de instalá-los fisicamente se deparar com um pilar no meio de um corredor ou impedindo a montagem de uma longarina.

Por outro lado, certificar-se do alinhamento relativo entre as paredes é fundamental quando se vai instalar estantes, mezaninos ou outras estruturas com corredores estreitos. Nesse caso, um desalinhamento de apenas alguns centímetros poderá atrasar todo o cronograma porque poderá impedir que as estruturas sejam montadas conforme o layout estabelecido.

E o que fazer com um prédio cheio?
Isso aumentará a emoção da tarefa! Muitas vezes temos mesmo a necessidade de medir um prédio já cheio de mercadorias.
Nesse caso, a medição de grandes distâncias ficará prejudicada porque nem sempre, eu diria nunca, você terá grandes linhas de visada para puxar uma trena. Nesses casos, a solução é aproveitar quaisquer pontos de referência que proporcionem uma visada razoavelmente longa e aumentar a quantidade de triângulos interligados. Por outro lado, pequenas (eu disse pequenas) curvas no alinhamento da fita da trena não proporcionam erros apreciáveis de leitura, uma vez que boas trenas são projetadas para serem puxadas com uma força pré-determinada e já levam em conta a catenária formada. Portanto, não é preciso esticar a trena até o seu limite de elasticidade.

Para que sofrer?
O ideal mesmo, em qualquer caso, é utilizar-se uma trena a laser de boa qualidade, que não só simplifica o trabalho mas possibilita “driblar” a maioria das obstruções existentes nos armazéns.

Medir o pé-direito com uma trena a laser também é muito fácil visto que é só mirar e fazer a leitura. A maioria delas tem uma função pitagórica que permite medir alturas através de medições indiretas quando há algum impedimento para que se faça a leitura direta (trena no chão mirando um ponto no alto).

De qualquer modo, use sua imaginação para contornar as dificuldades de leitura. Por exemplo, se não há como fazer uma medição direta, conte os blocos da parede e multiplique pela altura correspondente a 10 ou 20 blocos (nunca um só!). O importante é conhecer a geometria do prédio e o pé-direito disponível, de modo a conhecer todas as suas oportunidades de melhorar sua capacidade de armazenagem.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Como medir a área de um armazém? - parte 2

Medindo a área:
Normalmente o que comumente se vê na medição de um prédio aparentemente retangular é que o analista puxa a trena uma única vez ao longo de duas paredes contíguas A, e B, e adota as dimensões encontradas como sendo corretas. Mas isso só é correto se tivermos a mais absoluta certeza de que as paredes são de fato ortogonais. E como podemos nos assegurar disso? Em primeiro lugar, fazendo outras medições nas outras 2 paredes C e D, totalizando 4 medições.
E ainda que as dimensões sejam pareadas; A=C e B=D, puxe a trena também nas diagonais do prédio visto que serão as dimensões idênticas dessas 2 diagonais que lhe garantirão que as paredes são mesmo perfeitamente ortogonais.

Como desenhar o prédio corretamente?
No exemplo acima, vemos que há pequenas diferenças nas dimensões das paredes e consequentemente das diagonais, indicando que as paredes não são ortogonais.
Para desenhar o prédio corretamente, escolha uma reta (por exemplo a da parede A). Usando a extremidade "esquerda" como centro, trace uma circunferência que tenha como raio a diagonal 1327. A partir da extremidade "direita", trace uma circunferência que tenha como raio a dimensão 646. O cruzamento das duas circunferências localiza onde a parede "B" acaba.
Usando esse ponto como centro, trace então uma circunferência com a dimensão da parede "C". E usando novamente a extremidade esquerda da parede "A", trace uma circunferência com raio igual a dimensão da parede "D". O cruzamento das duas circunferências marcará o último canto do prédio.

E prédios que são irregulares? Como eu faço para medir?
Isso ficará para a terceira parte dessa matéria.

Como medir a área de um armazém?



O primeiro passo antes de iniciar o desenvolvimento de um layout, seja para instalações de armazenagem (porta-páletes, prateleiras), ou para instalar máquinas operatrizes, é sempre conhecer as características geométricas da área em que será aplicado, afim de resolver o layout da maneira mais eficaz e flexível.

É preciso ter em mente ao medir uma área, principalmente em prédios antigos e não pré-moldados, que suas paredes podem não ser ortogonais apesar da aparência. Muito provavelmente você encontrará também distâncias diferentes entre pilares.

Muito cuidado terá de ser tomado também com a presença de obstruções que muitas vezes passam despercebidas, tais como:

No piso: ralos, desníveis, degraus, canais de escoamento com grades, tampas de inspeção, áreas de piso sobre lajes que limitarão a carga possível, trilhos guia de portas de correr, etc...

Nas paredes: Será preciso observar a presença de hidrantes, de válvulas de governo (sistema de sprinklers), de caixas de comandos elétricos, de caixas de inspeção ou de passagem, de portas de emergência, de ressaltos nas posições dos pilares, de tubulação aparente (hidrantes, sprinklers, eletricidade, dados, etc...). Também é preciso olhar para cima e verificar a existência ou não de tubulações e dutos, eletrocalhas, cabeças de pilares, grades de exaustores, janelas ou venezianas de ventilação, etc...

Junto aos pilares: Verifique se não há capiteis dos pilares reduzindo o pé-direito, se não há hidrantes ou tubulações, se na raiz do pilar não há nenhum tipo de ressalto acima do piso, etc... Não se esqueça de verificar a forma (cilíndricos, quadrados, retangulares, bem como medir a secção dos pilares.

Na parte aérea, horizontalmente: Preste atenção na presença de tubulações, sprinklers, eletrocalhas, luminárias pendentes, dutos de ar condicionado, e qualquer outra obstrução que não possa ser removida. Muitas vezes a própria estrutura do telhado irá constituir algum tipo de obstrução através de tirantes, treliças, vigas, etc...

Pé direito
Quando falamos de pé-direito de um prédio, sempre nos referimos à altura livre para a instalação de porta-páletes ou outras estruturas de armazenagem, bem como para a elevação de páletes através das empilhadeiras. Portanto, o pé-direito terá de ser considerado no nível da obstrução mais baixa que não possa ser removida.

Em alguns casos de poucas obstruções localizadas, poderemos sinalizá-las de modo a aproveitar um pouco mais do pé-direito disponível. No caso de luminárias pendentes não se esqueça de verificar a possibilidade de instalá-las mais acima do nível original.

Equipamento:
Em primeiro lugar vamos falar um pouco do equipamento de medição.

O ideal é utilizar-se de uma trena a laser de boa qualidade com capacidade de no mínimo 50 metros. Esse equipamento racionalizará as medições e permitirá que um analista sózinho faça rapidamente todas as medições necessárias.

Dado que é um equipamento caro, a segunda escolha deveria ser uma trena de fita, preferencialmente em fibra de vidro, do tipo utilizado em topografia, também com comprimento de 50 metros. Nesse caso é pouco provável que se consiga fazer as medições sem ajuda de um auxiliar.
No entanto, um gancho resistente, um imã de neodímio, ou qualquer outro artifício do gênero, poderá ajudá-lo a fixar a ponta da fita em estruturas metálicas ou num ponto fixo e desse modo reduzir a necessidade de ajuda extra.

Trenas curtas aumentam os erros de medição
A utilização de trenas muito curtas – 5m ou menores, não é conveniente para a medição de grandes comprimentos porque implicará em um erro acumulado inaceitável.

Na segunda parte deste texto assumiremos que será utilizada uma trena de fita, por ser de utilização mais comum.

crédito da imagem: Padsbrother em http://www.flickr.com/photos/padsbrother/2766681720 sob licença creative commons

domingo, 14 de novembro de 2010

furação coluna Indusa

Quantas vezes nós nos precisamos complementar porta-páletes mas não sabemos que é o fabricante daquele que temos disponível no armazém do cliente.
Para ajudar nessa busca eu quero ver se consigo postar os padrões que eu tenho identificados por aqui.
O primeiro é Indusa datado provavelmente de 98 ou 2000.

Veja em slideshare

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Teste de atenção

Há algumas coisas que recebemos, são muito legais, e acabam ficando em nossa caixa de email até que resolvemos dar uma limpada geral e acabamos não compartilhando.
Para evitar isso, vou postar algumas coisas aos poucos.

Este teste de atenção é fantástico e tem tudo a ver com o nosso trabalho: