segunda-feira, 18 de junho de 2012

10 dicas: Estratégias para cortar custos na cadeia de suprimentos de empresas de produtos de consumo.

Este é um artigo que foi publicado na Inbound Logistics Magazine e que julguei bastante oportuno, visto que compreende uma situação que tenho visto com bastante frequência entre os meus clientes.

Vamos ao artigo:

 

Fonte: Inbound Logistics Magazine - Maio 2012

Fonte: Inbound Logistics Magazine - Maio 2012

As melhorias contínuas são um modo de direcionar a melhoria da eficiência nas cadeias de suprimento de empresas de produtos de consumo. Mas de acordo com Mike Marlowe, Vice presidente de operações da “Kane is Able”[1],  alcançar as oportunidades de ganho desafiadoras podem requerer às empresas que repensem suas práticas estabelecidas. Ele oferece 10 estratégias que deveriam ser reconsideradas pelas empresas de produtos de consumo.

1)    Aloque seu inventário em conjunto com outras empresas que entreguem para os mesmos varejistas. 
Cada dia dezenas de milhares de pequenas e médias empresas embarcam separadamente, pagando fretes de cargas fracionadas, para exatamente os mesmos varejistas. Por que não se tornar parceiro de operadores logísticos que tenham uma grande concentração de clientes embarcando para as mesmas cadeias de varejistas? Pelo compartilhamento de armazéns e espaço em veículos, os custos de distribuição poderão ser cortados em cerca de 35%.

2)    Integre a embalagem final em suas operações de distribuição. Empresas de produtos de consumo estão alavancando a capacidade de embalagem de seus operadores logísticos, para eliminar o tempo e os custos de frete associados com a movimentação de produtos de e para embaladores externos. Fazer a embalagem final nos Centros de Distribuição pode reduzir os custos combinados de distribuição, embalagem e distribuição em 30% e cortar no mínimo em 7 dias os seus ciclos de pedidos.

3)    Envolva a logística no planejamento das promoções.
O time de logística é frequentemente o último a receber informações sobre os agendamentos e volumes das promoções. Como resultado, centenas de milhares de dólares são perdidos durante cada grande promoção, pelos custos ineficientes de mão de obra, custos de espaços extras, e fretes sub-otimizados.
Uma solução simples: Envolver precocemente a logística para poder planejar melhor as necessidades de mão de obra e espaço e a capacidade dos veículos.

4)    Faça com que a seleção das caixas de embarque seja uma responsabilidade da cadeia de suprimentos.
Estas decisões são feitas tipicamente pelos gerentes de compra ou marketing com pequena visão dos impactos sobre a eficiência do frete e armazenagem. Por exemplo:
As caixas são fortes o suficiente para suportar, sem danos, o empilhamento?  Pode o tamanho das caixas serem reduzidos para melhorar a densidade da ocupação volumétrica nos páletes e veículos? 
A otimização das caixas a partir das necessidades logísticas pode reduzir os custos totais de embalagem, armazenagem, e transporte, em cerca de 10%.

5)    Implemente o cross-docking.
Esta estratégia elimina os custos de estocagem e mão de obra nos modelos tradicionais de armazenagem. Com os sistemas adequados de apoio promovendo a visibilidade necessária, os itens recebidos nas docas podem ser combinados imediatamente nos pedidos pendentes e estacionados nas docas até que o pedido seja completado e fique pronto para o embarque.  Para cada SKU que possa ser adaptado ao modelo de cross-docking, haverá um ganho de 40% a 50% de ganho de mão de obra e um corte no inventário desses itens em cerca de 50%.

6)    Embarque seus itens de alta rotatividade diretamente dos fabricantes para os varejistas.
Empresas de produtos de consumo ganham quando evitam enviar os seu produtos  através de seus canais de distribuição normais. Desse modo, por que não incentivar os varejistas a pedir grandes quantidades de cada SKU para possibilitar o embarque direto?   É um ganha-ganha. Varejistas obtem os produtos mais rapidamente e por um preço mais baixo, enquanto as empresas ganham ao economizar em seus custos de frete e mão de obra.

7)    Adicione pontos de distribuição para reduzir os custos de transporte e a quilometragem percorrida.
Ter mais pontos de distribuição próximos aos seus varejistas reduzirá seus custos de combustível e dirigirá a demanda de seus clientes para pedidos menores e mais frequentes. Um estudo de otimização da rede poderá determinar se esses benefícios serão maiores que o aumento de seus estoques.

8)    Complete a configuração de seus produtos finais no Centro de Distribuição.
Empresas de produtos de consumo devem adaptar-se economicamente às demandas dos seus varejistas para a configuração de produtos e embalagens exclusivas. Este trabalho que utiliza intensamente espaço e mão de obra, pode ser feito mais eficientemente nos Centros de Distribuição, onde estes custos são cerca de 25% menores do que nos ambientes fabris.

9)    Informe as necessidades logísticas para  o projeto dos materiais de merchandising.  
Essas unidades são projetadas tipicamente pelo pessoal de marketing e de outras funções comerciais, que não consideram os seus custos para construir, armazenar e embarcar. Ao envolver previamente os engenheiros de processos e embalagem, as empresas podem evitar projetos que venham a acrescentar custos entre 25% e 50% de mão de obra para sua montagem, bem como limitar o uso do cubo dos veículos de transporte.

10) Visite seus clientes varejistas.
Empresas de produtos de consumo também lidam frequentemente com queixas de clientes e com reembolsos de correspondência e ligações telefônicas. Por que não visitar os varejistas e observar, em primeira mão, os seus processos de recebimento?  Você ganhará um melhor entendimento para guiar seus procedimentos de roteirização, e poderá também descobrir que alguns de seus esforços extras na expedição não são mais necessários baseados nas mudanças de processo que tenham ocorrido no armazém de recebimento de seus clientes.




[1] Kane is able é um Operador Logístico americano especializado em produtos de consumo frequente, tais como alimentos, produtos de limpeza, sapatos, etc... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário