sexta-feira, 29 de maio de 2015

Deu no Wall Street Journal: Mudança no perfil desejado para os profissionais da Cadeia de Suprimentos

Na página de logística do “TheWall Street Journal” do dia 22 de Maio, eu li uma interessante reportagem de LorettaChao, falando sobre as grandes mudanças que estão ocorrendo na busca dos talentos necessários para a Cadeia de Suprimentos, em razão do impacto provocado pela influência dada vez maior da tecnologia e da globalização, nas habilidades necessárias aos cargos em SCM.

Diz ela que, hoje em dia consegue-se uma tamanha abundância de dados sobre as operações, que as previsões de demanda conseguem ser cada vez mais rápidas e mais precisas, possibilitando às empresas obter bons resultados com menor investimento em inventários. Entretanto, isso exige pessoas capazes de coletar, analisar e interpretar essa enorme massa de dados de modo a garantir vantagens competitivas.

Ainda segundo ela, os Especialistas do setor dizem que compreender a tecnologia e ser capaz de trabalhar em um ambiente global são habilidades cada vez mais importantes na cadeia de abastecimento. Isso obriga os gestores a procurar pessoas com uma rara mistura de habilidades especializadas para gerenciar esses aspectos cruciais de seus negócios.

As mudanças também estão ocorrendo não só em termos das habilidades exigidas, como também da maior importância das funções de Supply Chain na hierarquia das empresas.  Aquilo que antes era um punhado de funções distribuídas entre Logística e Suprimentos, estão sendo consolidadas e empurradas para cima da hierarquia, com executivos de Supply Chain se reportando diretamente aos CEOs, tal como aconteceu na Apple e na Kimberly-Clark.

Tom Falk, CEO da Kimberly-Clark conta na reportagem, que a empresa tendia a olhar os custos de matéria prima e de transportes de forma independente, e que diversos gerentes cuidavam de atividades relacionadas à Cadeia de Suprimentos mas se reportavam a diversos departamentos de forma não integrada, e que isso fazia a empresa “deixar dinheiro na mesa”. O que ele fez foi juntar todo mundo em uma única área, de modo a criar valor e unificar a estrutura de custos, contratando para isso uma executiva com experiência em operações globais, visto que ele espera que essa nova visão venha a ajudar na expansão da Kimberly-Clark em mercados como a China, Rússia, Brasil e India.

Porém, executivos com esse perfil são raros. A reportagem segue dizendo que em uma recente pesquisa levada a cabo pela Deloitte Consulting LLP, os resultados mostraram que 71% dos executivos entrevistados tinham dificuldade para recrutar suas lideranças de Supply Chain. 74% disseram que eles precisam que seus Gerentes de Supply Chain tenham capacidade de pensar estrategicamente e habilidades para resolução de problemas, mas que menos da metade deles declararam que suas empresas estavam boas nisso atualmente.

A reportagem termina dizendo que o maior desafio hoje é que não há super homem ou super mulher preparados o suficiente para cobrir todos os aspectos da cadeia de suprimentos.

Achei bastante interessante a abordagem, principalmente para os jovens que buscam formação em logística, mas também para todos os que já estão no mercado, ao mostrar que a Cadeia de Suprimentos é uma área de grandes possibilidades para os profissionais mas exige múltiplos talentos e habilidades. O recado para quem quer ter sucesso na carreira é que ajam sistemicamente, busquem aperfeiçoar-se em tecnologia, ampliem sua visão para fora dos limites locais, e desenvolvam seu poder de analisar dados e extrair deles informações relevantes para adicionar valor às cadeias de suprimentos em que estiverem inseridos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário