quarta-feira, 16 de março de 2016

Como organizar a preparação de seus pedidos para a entrega

Está mais do que claro que nestes dias de competição acirrada, a entrega de valor para o cliente significa muito mais do que ter um bom produto ou uma simples entrega no prazo. 
O cliente do e-commerce não compra apenas um produto, ele compra uma experiência que inclui o produto. 

Como parte do esforço para oferecer esse valor, há muito o que organizar em seu empreendimento de e-commerce para que sua logística corresponda ao seu esforço de marketing e à expectativa de seus clientes. Para contribuir com isso, hoje eu quero tratar a questão da preparação dos pedidos para a entrega. 

Meus custos de preparação aumentaram!

Essa questão é genérica e atinge todos os segmentos de mercado, mas principalmente quando se trata de lojas físicas de autosserviço (como os supermercados e magazines) que começam a vender pela internet os milhares de itens de seus portfólios, muito frequentemente o empreendedor se dá conta que os custos logísticos aumentam ao invés de se reduzirem, porque a separação das mercadorias e a preparação da entrega passam a ser feitos por um colaborador da loja física ou de alguém especialmente contratado para esse serviço, o que na venda tradicional é feito pelo próprio cliente. 

E também com grande frequência essa preparação de pedidos ocorre na própria área de vendas da loja, o que implica em concorrência de espaço com os clientes físicos. 
Além disso, aquilo que é uma vantagem mercadológica - fazer os clientes andarem pela loja toda em busca de produtos - no caso da preparação de pedidos para entrega passa a ser ineficiência. 

Se em armazéns dedicados, um separador de mercadorias chega a utilizar até 50% de seu tempo em deslocamentos, imagine o quanto isso significa em uma área de vendas que não é preparada exclusivamente para esse trabalho. 

Eu preciso de especialistas em meus produtos para separar?

Ao contrário do que se possa imaginar, o separador não precisa necessariamente conhecer os produtos que está separando. O que importa é simplificar o seu trabalho dando-lhe apenas a função de coleta. Desse modo melhoramos a eficiência e aumentamos a flexibilidade da operação. 

Mapeamento

Portanto, uma dica é ter a loja mapeada definindo os endereços de cada produto, de modo que o documento de separação (ou leitor de dados) indique exatamente onde o separador deve ir buscar cada um, o que possibilitará a organização de caminhos mais curtos (portanto mais rápidos). 
Para que seja eficaz, esse mapeamento deve ser sincronizado com quaisquer mudanças que venham a ocorrer. Estudos dizem que um produto não encontrado no endereço gera cerca de 30% de tempo adicional para ser separado. 
(para ler mais sobre técnicas de endereçamento

Simplificação gera eficiência

O documento de separação, ou tela do leitor de dados deverá indicar em primeiro lugar o endereço, e só depois uma descrição do produto e seu código de barras, e por último a quantidade a ser separada. Por segurança, a identificação do cliente deve ser evitada ao máximo nessa fase. Veja que o endereço, a descrição e o código de barras constituem-se em 3 camadas diferentes de identificação contribuindo para evitar erros. 

Uma outra maneira muito interessante para ganhar eficiência na separação é utilizar carrinhos especialmente desenhados para que vários pedidos possam ser separados simultaneamente aproveitando o caminho percorrido pela loja. 
Eu sei que o medo é que produtos de um pedido acabem indo parar na cesta ou na divisória de outro. Entretanto, isso não é argumento suficiente para sequer tentar. Há inúmeros modos de garantir a qualidade do processo e evitar erros. 

Descrição correta dos produtos e manutenção do cadastro

Temos ainda dois problemas que costumam atrapalhar a separação de mercadorias. Um deles diz respeito às alterações nos códigos de barras dos produtos, realizadas pelos fabricantes, muitas vezes devido apenas a mudanças na aparência das embalagens. O produto é o mesmo mas os dois códigos podem coexistir por um tempo no depósito das lojas, e isso poderá confundir o separador ou motivar erros de conferência porque o código do produto físico e do produto que consta no pedido/leitor serão diferentes. 
O outro fator que impacta a eficiência da separação é a descrição do produto no cadastro, que deve ser a mais completa possível e evitar abreviações, que aliás quando necessárias devem ser padronizadas para que todos os produtos que as contenham guardem alguma semelhança. 

Essas providências reduzem a complexidade do processo de separação de mercadorias e consequentemente aumentam a velocidade com que as mercadorias são separadas. 
Em uma próxima postagem tratarei de algumas técnicas de separação simples que poderão agilizar ainda mais a sua preparação de pedidos. 

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário