quarta-feira, 30 de março de 2016

Enquadramento ou profiling da área de separação


Na minha última postagem eu prometi falar em seguida sobre técnicas simples para melhorar a separação de mercadorias.

As duas postagens a seguir trazem alguns bons tópicos sobre o assunto. Entretanto sempre há coisas para acrescentar.

A separação de mercadorias, ou orderpicking, “apanha”, ou ainda outros nomes menos usuais, nada mais é do que a coleta ordenada das mercadorias que compõem o pedido de um cliente, a partir do estoque, de modo que ao final do processo tudo o que compõe o pedido esteja pronto para ser conferido, embalado e despachado.

Para ser eficiente, a separação de mercadorias deve ser feita rapidamente e de modo contínuo, sem erros, utilizando o mínimo de recursos. Isso pressupõe que os produtos possam ser localizados de modo lógico, coletados sem esforço desnecessário, e que o caminho percorrido pelos separadores seja o mais curto possível.

Em uma área de separação organizada, cada SKU deve ser apresentado em uma “picking face”, ou em uma tradução livre, em uma face ou escaninho de separação exclusivo. Em suma, um local único em que o produto fique disponível para ser coletado.  Falando de outro modo, em uma área de separação organizada cada SKU tem um endereço pra chamar de seu.
Complementarmente, cada picking face (ou endereço) deve ser capaz de conter as unidades necessárias para atender a demanda de um certo período.

ENQUADRAMENTO OU PROFILING

Enquadramento portanto, nada mais é do que a definição do volume ou área necessários a uma picking face, para conter a quantidade de produtos suficiente para atender aos pedidos de seus clientes durante um determinado período.

O objetivo é garantir que os separadores não precisem parar o trabalho de coleta de produtos para esperar pelo reabastecimento.

E como conseguir dimensionar isso?

Chegar ao tamanho ótimo de seus endereços, exige algoritmos de otimização bastante complexos. Entretanto, você poderá chegar a uma aproximação razoável analisando o histórico de seus pedidos.

É razoável supor, genericamente, um intervalo de uma semana entre as reposições como base para seus dimensionamentos.

Levante as demandas semanais de cada SKU nos pedidos das últimas 10 semanas (por exemplo) e faça um histograma.  Descarte as duas semanas de maior demanda e use a maior quantidade remanescente. Isso significa que somente em 20% das semanas você estará sujeito (probabilisticamente) a reposições intermediárias.

Agora, com as quantidades em mãos e com base nas dimensões dos seus SKUs você já consegue fazer uma ideia do espaço necessário à sua área de separação.  Lembre-se que o seu melhor resultado será conseguir apresentar todos os seus SKUs aos seus separadores.

Nesse momento, o bom senso e a experiência serão seus grandes conselheiros. Para alguns produtos de grande saída e grande frequência, talvez você tenha que prever reposições diárias ao invés de semanais e/ou um endereço tamanho “jumbo”.
Para outros SKUs, um endereço de mesmas dimensões será suficiente para atender aos pedidos de um mês, e portanto sua picking face poderá ser reduzida.
Você verá ainda que alguns produtos tem uma demanda muito pontual e que, talvez não seja interessante mantê-los na área de separação.

Como resultado dessa revisão você terá, adicionalmente, os tempos e as frequências de reabastecimento e poderá dimensionar o seu time de repositores.

Lembre-se de revisar periodicamente seus dimensionamentos


Não se esqueça entretanto, que esses cálculos devem ser refeitos periodicamente, afim de adaptar-se aos perfis de sazonalidade de seus produtos.

Procure não estabelecer muitos padrões de tamanhos para suas picking faces, caso contrário será complicado organiza-las em uma ordem lógica.  Isso será objeto de uma nova postagem.


Creio que com as análises e os tópicos acima expostos você poderá obter uma nova visão sobre os caminhos para a eficiência da sua atividade de separação.   Espero que tenha gostado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário