quarta-feira, 6 de julho de 2016

Como garantir a integridade dos produtos durante o transporte - Parte 1

O cuidado com a integridade dos produtos durante o transporte é fundamental para que seus clientes fiquem satisfeitos e seus custos permaneçam em limiares aceitáveis.

Um dos cuidados fundamentais ao planejar o transporte é conhecer os esforços  a que as cargas estarão sujeitas. Nesta postagem vamos falar resumidamente sobre isso, visto que é um assunto que por si só daria um grande número de postagens. Entretanto, não deixem suas dúvidas dormindo. Escrevam para mim e eu irei respondendo ou tratando do assunto em novas postagens. 

No transporte rodoviário, as acelerações provocadas nos sentidos longitudinal e transversal provocadas pelas curvas, pelas frenagens e arrancadas podem ser altas mas não são as mais importantes. No entanto no sentido vertical, as acelerações causadas por lombadas, buracos, e irregularidades da pista representam cerca de 1,5G podendo mesmo chegar a picos de 6G, lembrando que 1G representa o peso próprio do corpo sob esforço.  
Isso quer dizer que em determinados momentos, uma caixa terá de suportar 6 vezes o seu próprio peso e o das mercadorias empilhadas sobre ela.



Entretanto, só embalagens bem dimensionadas não são suficientes. É preciso que os embarcadores cuidem para que o carregamento de um veículo seja feito de maneira cuidadosa, de modo a garantir que os produtos chegaram íntegros ao destino.

Checklist do veículo

Para começar, vamos iniciar com uma verificação das boas condições do veículo, estabelecendo um checklist que contenha, no mínimo, os seguintes itens:

         Condições gerais do veículo: As condições gerais do veículo estão em conformidade com as regras do CBT e de sua empresa?  
         Estanqueidade: Feche o baú e veja se não vaza luz em nenhum ponto;
         Estado do piso: Plano, íntegro, resistente, sem protuberâncias;
         Limpeza: O baú está sem odores? Não apresenta resíduos de cargas anteriores?
         Obstruções ou pontas de pregos ou parafusos: Não há nenhum ponto no piso ou nas paredes do baú, que possa danificar as embalagens ou ferir alguém?
         Suspensão: A suspensão do veículo está em perfeitas condições (nivelada e alta)?
         Portas: As portas se fecham normalmente?
         Lacre nas portas: Há como lacrar o baú (se conveniente ou necessário)?
         O veículo e/ou baú são apropriados para o(s) destino(s)?
         A origem do veículo e seus documentos foram devidamente verificados?
         Motorista: É habilitado? Está uniformizado?
         Produtos perigosos: Se você vai transportar produtos perigosos, o motorista é capacitado? O veículo tem o kit de segurança adequado aos produtos?

Lembrem-se entretanto, que a checagem das condições dos veículos deve ser muito mais detalhada do que os itens acima. Vale a pena discutir isso com os responsáveis pela frota de sua empresa.

Veículo conferido, vamos aos produtos


         As embalagens estão intactas? (sem amassados, vazamentos, rasgos, etc...)
         As embalagens estão corretamente identificadas?
         Há indicações sobre fragilidade, base da caixa, onde pegar, empilhamento máximo, etc...?
         Os produtos incompatíveis estão devidamente segregados? (por exemplo: aqueles mutuamente contaminantes)
         As quantidades e tipos de produtos a embarcar estão corretamente conferidos e disponíveis?
         Você tem indicações sobre a m³ e o peso de cada caixa a ser embarcada?

E agora faça um plano de estufagem, de modo a garantir que os produtos serão embarcados do modo adequado, o que evitará que sofram danos durante o transporte e o descarregamento:

         A capacidade cúbica do veículo será utilizada ao máximo?  Se não, cuide para que a carga fique fixada firmemente.
         O peso por eixo está sendo respeitado?
         O carregamento está sendo feito na ordem inversa dos descarregamentos, de modo que a conferência e o acesso aos produtos sejam facilitados no momento das entregas?
         Produtos mutuamente incompatíveis estão segregados?
         Produtos pesados, caixas volumosas, produtos líquidos estão na base dos empilhamentos?


Atualmente há software de otimização de cargas disponíveis gratuitamente e online, que auxiliam na elaboração do mapa de carregamento e oferecem o máximo de ocupação para um dado volume do contentor. Apesar de não serem tão sofisticados quanto as versões pagas que dispõem de um leque de funcionalidades adicionais (peso por eixo, formas diferentes de embalagens, etc.), ainda assim permitem uma visão antecipada sobre a quantidade de veículos que será necessária evitando gastos desnecessários com frete.

O próximo passo será o carregamento propriamente dito.  Deixaremos isso para a próxima postagem.
Tenham uma boa semana!

Nenhum comentário:

Postar um comentário